segunda-feira, 31 de agosto de 2015

CINEMA: Wes Craven


O Mundo de Helena estava preparando um post futuro, mas devido a essa fatalidade antecipamos sobre Wes- que acaba de partir e deixa um legado inesquecível.

 

WES CRAVEN

 


Wesley Earl Craven  conhecido como Wes Craven nasceu em Cleveland, Ohio, em 2 de agosto de 1939, e faleceu ontem, 30 de agosto de 2015 aos 76 anos, em Los Angeles.
Casado três vezes, era pai de dois filhos.
Foi um realizador, produtor, argumentista, editor e diretor de cinema norte americano, célebre por ter criado as famosas franquias Pânico e A hora de pesadelo.
Morreu em sua casa, em Los Angeles, vítima de câncer no cérebro diagnosticado há pouco tempo.







Com a sua morte é também um dos nomes mais importantes para a evolução do cinema de terror que desaparece.
Craven fez parte de uma geração de cineastas oriundos da cena independente que tornaram o filme de terror, tradicionalmente entendido como cinema sensacionalista, num espelho distorcido da sociedade americana, ele mesmo reinventou o gênero.








Para a crítica Craven colocou os filmes de terror num outro patamar.
Antes esses filmes eram vistos como diversão adolescente.
Wes Craven conseguiu levar para os filmes uma reflexão sobre a violência da sociedade americana, como na franquia Pânico, que rendeu US$ 600 milhões no mundo.







Craven quem lançou um dos “mitos” mais icônicos do cinema de terror: Freddy Krueger, um assassino desfigurado de lâminas nas mãos que invade os sonhos dos adolescentes e os mata enquanto dormem, encarnado por Robert Englund e revelado em A hora do pesadelo (1984).
Jogando com a ideia da fronteira entre o sonho e a realidade, o filme-fundador da mitologia de
Krueger ajudou a lançar a produtora New Line, que exploraria a personagem ao longo de oito outros
filmes, uma série televisiva e um remake.
Contando com o primeiro; Craven esteve apenas ligado como argumentista ao terceiro episódio da franquia e dirigiu em 1994 o defecho "Novo Pesadelo".








A hora do pesadelo  (A nightmare on Elm Street 1984)

Heather Langemkamp é Nancy Thompson,  uma adolescente que recentemente vem sendo atormentada por estranhos sonhos de um homem com garras vestindo um sujo suéter listrado de verde e vermelho.
O tal ser é Freddy:  um assassino de crianças que matou, ao menos, vinte crianças uma década antes da data apresentada no filme. Furiosos, os pais das crianças em busca de vingança o queimaram vivo em uma  caldeira que Freddy mantinha escondida em sua casa, após ter sido libertado da cadeia por questões técnicas. Agora, ele retorna do mundo dos mortos e parece estar manipulando, por vingança, o sonhos dos filhos daqueles que o mataram.
O filme também conta com as atuações de Johnny Deep, Robert Englund, Amanda Wiss, Jsu Garcia, e John Saxon.
Se tornou um clássico no gênero.






 Heather como Nancy, musa do horror, presente em 3 partes da franquia:






O personagem foi explorado no documentário I am Nancy sobre a vida da atriz Heather Langemkamp.





A hora do pesadelo é um dos principais nomes citados no segmento horror, se tratando de originalidade e roteiro ele marcou uma década, e foi muito assustador na época de seu lançamento, até hoje lembrado.
O personagem de Freddie se tornou um figurão do cinema e a principal causa do pesadelo de muitas
crianças e adolescentes.
O remake não consegue chegar aos pés do sucesso original muito menos em matéria de medo.








Outros títulos de horror de Wes:
Aniversário macabro (Last house house on the letf 1972) que inspirou um remake.
Quadrilha de sádicos (The Hills have eyes) que também rendeu um remake.
Verão do medo (Stranger in our house 1978)
Bênção mortal (Deadly Blessing 1981)
Quadrilha de Sádicos 2 (The Hill have eyes 2 1985)
A maldição de Samantha (Deadly Friend 1986)
A maldição dos mortos vivos (The serpent and the rainbow 1988)
Shocker (100.000 volts de terror 1989)
As criaturas atrás das paredes (The people under the stairs 1991)
Vôo Noturno (Red Eye) de 2005.



Elenco original de"A hora do pesadelo":






O Novo Pesadelo: O Retorno de Freddie Krueger (Wes Craven's New Nightmare 1994)

É o sétimo filme da longa série A nightmare on Elm Street. Conta com o retorno da atriz Heather Langenkamp e Wes Craven no roteiro e na direção do filme. No Brasil também foi comercializado com o nome A Hora do Pesadelo 7.
Uma força demoníaca optou Freddy Krueger como seu portal para o mundo real.
Heather pode representar o papel de Nancy uma última vez e salvar a todos das armadilhas do mal que tentam entrar no nosso mundo?






Esse sétimo e último filme da franquia nos apresenta Heather, a atriz que viveu Nancy no cinema em
sua vida pessoal. Mas algo está errado, pois parece que o verdadeiro Freddie Krueger está usando
os filmes como portal para vir para nossa realidade, cabendo a Heather então a tarefa de lutar contra
essa força que fará de tudo para sair das telas.
Uma história assustadora que usa de uma genial metalinguagem e fecha a série de filmes com chave de ouro, e muita originalidade.




 


Pânico (Scream 1996)

 




Um novo serial killer está imitando famosos assassinos do cinema e matando jovens como nos filmes, criando trabalho para a polícia local e assustando os estudantes da cidade.
Pânico marcou o renascimento do sub-gênero terror adolescente, abrindo uma nova onda de filmes do estilo. Com: Neve Campbell, Courtney Cox, David Arquette, e Drew Barrymore.
O filme rendeu mais 3 sequências, dirigidos por Wes com a colaboração de Kevin Williamson.
Possivelmente estaria sendo negociada uma quinta parte da franquia.







Um elemento muito presente na trama é o sadismo do assassino que usa o telefone como instrumento de tortura antes de assassinar suas vítimas, e mata geralmente a punhaladas como nos clássicos filmes de horror.






Elenco de Pânico ao lado de Wes Craven:






Ghostface, a famosa figura da fraquia com sua mascara peculiar se tornou ícone no gênero.













Difícil dizer qual o melhor filme de Craven, mas dois de seus títulos marcantes são sem dúvida
"A hora do pesadelo" e "Pânico".
O primeiro marcou a infância de toda uma geração, e o segundo a adolescência.
Destacam-se também seus trabalhos dos anos 80 com uma produção um pouco mais trash e b que valem a pena serem vistos.




A maldição de Samantha






Em "A Maldição de Samantha", no centro da trama está o jovem Paul Conway, um pequeno gênio da ciência recém-chegado a uma cidadezinha para estudar formas de inteligência artificial na universidade local. Uma de suas realizações de alta tecnologia chama-se "Bee-Bee", seu incrível robô de estimação, dotado até de voz. E uma de suas novas amigas é a encantadora vizinha Samantha. 
Quando trágicos acidentes lhe arrebatam "Bee Bee" e Samantha de uma só vez, Paul, com seu talento, decide recuperar o amor perdido. E como um moderno Dr, Frankstein, ele, descobre tarde demais que criou um monstro alucinado; que vai deixando por onde passa sua marca registrada: Terror, Medo e sangue. Tudo isso numa espirituosa combinação de susto e divertimento. Com Kristy Swanson no elenco.







Verão do medo:









"Summer of fear" de 1978 é sobre uma garota suburbana, cujos eventos sobrenaturais que
subitamente invadem sua casa, a assustam e a convencem de que sua prima que acaba de chegar
de visita, é uma bruxa e trouxe consigo uma força demoníaca e intenções cruéis.
Com Linda Blair no elenco.








A maldição dos mortos vivos









"The Serpente and the rainbow" de 1988 é sobre um antropólogo de Harvard que é enviado ao Haiti para recuperar um estranho pó que dizem ter o poder de ressuscitar seres humanos.
Na busca pela droga milagrosa, o cético cientista adentra o submundo oculto dos zumbis, dos rituais
sangrentos e das maldições remotas.
Baseado na experiência real de Wade Davis e filmado no Haiti, o filme retrata uma pavorosa excursão ao universo da magia e do sobrenatural.
Não é um filme comum sobre zumbis.







Criaturas atrás das paredes.







"The people under the stairs" de 1991 é sobre um garoto pobre que por acidente fica preso numa
residência de um estranho casal, (Everett McGill e Wendy Robie). Sem conseguir sair da casa
fortificada percebe a verdadeira índole dos moradores homicidas. O menino se confronta com sádicos dispositivos de segurança, torna-se amigo de uma menina esquiva que sofreu abusos e, por fim, descobre o segredo das criaturas ocultas nas profundezas da casa.









"Os filmes de Wes marcaram minha vida de forma muito significativa.
Pânico e a Hora do pesadelo foram referências na minha infância e adolescência.
Tive o prazer de poder ver dois títulos de Craven nas telonas do cinema: Pânico 3 e 4.
Foi uma honra poder assisti-los em seu lançamento.
A notícia me pegou de surpresa de verdade, fiquei muito triste, e quase não acreditei, infelizmente
os grandes não são eternos, mas seu legado estará vivo eternamente para nos lembrar de suas criações fantásticas."
Helena Dalillah





Trailer da Franquia Scream:







RIP WES CRAVEN

YOU WILL BE MISSED.









SEUS FILMES ESTARÃO PARA SEMPRE EM NOSSA MEMÓRIA.



Descanse em paz, Wes.
A notícia de seu falecimento foi uma punhalada para nós fãs  :(








"Filmes de terror não criam medo, apenas os revelam."
Wes Craven.

 

:(

BYE BYE WES



Um comentário:

  1. uma grande perda pro cinema,pode se dizer que Wes reinventou o gênero ou fez ele renascer,com monstros voltando a ter seu lugar de destaque Freddy e ghostface cairam no gosto do público e se tornaram ícones do pop mundial,estando hoje ao lado de Frankenstein e Drácula como os mais conhecidos pela a grande massa .
    Acho que ele poderia salvar o gênero de novo,mas enfim ele já deixou seu legado.
    Thanks Wes

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

A Perda de um animal de estimação e o filme 4 vidas de um cachorro

A Perda de um animal de estimação e o filme 4 vidas de um cachorro No filme 4 vidas de um cachorro vemos a saga de um cach...