terça-feira, 1 de setembro de 2015

Opinião: Religião

 

Hoje, um assunto diferente.

 

RELIGIÃO

 

Ter crenças ou não, é algo pessoal.


 

Nascemos e na criação adquirimos a noção do certo e errado, criamos empatia pelo próximo, (no geral)  aprendemos a ser cidadãos de bem, ter um emprego, seguir uma carreira, se casar, se reproduzir, ter uma religião, enfim, aprendemos a ser humanos, pelo menos uma maioria, contudo uma única conclusão é predominante: caráter vem de natureza e não de uma orientação religiosa, você fez uma escolha e tem sua natureza, logo a igreja ou sua crença não é a base disso, não no que condiz a seu caráter.
Você não precisa ter uma crença formada ou uma religião para ser um cidadão de bem e ter seu valor.


"Eu preferiria ter uma mente aberta pelo mistério que fechada pela crença." Gerry Spence.



Religião é escolha e não define caráter.
Muita gente é inflexível, ou simplesmente pensa na religião e na bíblia como a definição da verdade absoluta, e toda e qualquer lógica fora disso é descartada, o que é lamentável, o radicalismo de nada é saudável, e quem parou de questionar e aprender deixou de viver.

Tudo que se lê deve ser questionado, portanto se você está vivo logo pensa, e não pode nem deve aceitar tudo que lhe é jogado já mastigado sem ter seu raciocínio pessoal ou mesmo buscar uma resposta, afinal isso é muito mais válido que roboticamente crer em tudo apenas porque a maioria acredita.

"As convicções são inimigas mais perigosas da verdade do que as mentiras" Friedrich Nietzsche.





Pessoas que tem crenças não são um problema desde que elas aceitem o próximo e as diferenças, pois em sua maioria são radicais sempre batendo na mesma tecla; até por costume, porque não se permitem duvidar, aprenderam assim, aceitaram e se conformaram, sem procurar evidências além, buscar algo fora do seu ciclo, para muitos virou um vício medíocre, um ritual estúpido e sem sentido dos que estão nesse circulo e professam uma coisa mas muitas vezes não vivem isso, só mantém o status.
Apesar de muitos serem sinceros no que fazem e no que acreditam, a religião continua sendo o que ela é, um grupo que segue determinado ideal, e quem não a segue, não é inferior ou uma ameaça por ter outra opinião, muito menos se baseou em algumas pessoas, ou escritos - mau intencionados ou não- para formar esse ideal.
Não se acredita no que não se pode acreditar, e isso não é reprovável, embora poucos possam entender.

"Não há fatos eternos, como não há verdades absolutas.” Friedrich Nietzsche.




 

Acreditar num deus - e numa ideia de algo maior, que nos vê, e interfere, ou até num paraíso e a solução para a dor do mundo e o castigo dos maus - é um conforto para muitos, uma esperança, portanto sonhar com esse consolo, crer que há uma explicação e atribuir isso a um "deus" é mais fácil e natural para uma maioria. 
Ser uma ideia linda não é bastante, acreditar naquilo que é reconfortante é sempre melhor, contudo não é a saída.
Não se necessitar de uma ideologia imposta; buscar a própria verdade e a felicidade aqui nessa vida mesmo soa muito mais verdadeiro e plausível, e isso faz mais sentido do que viver em pró de algo ou de uma causa que vem de ideais de fora.


"Eu não quero acreditar, quero saber." Carl Sagan.




 

Sempre se poderá mudar de ideia; se uma coisa lhe está certa, e o que se fazia antes não vale mais deve-se ter toda a liberdade para direcionar a vida para o que acha melhor, o objetivo da vida é evoluir.
Deus para você pode ser o criador, mediador, juiz e razão de tudo, para outro porém Deus é o sol, e para outro a Lua, e para aquele que nada tem Deus é um socorro, um único pão na manhã, ou o copo de água para matar a sede do dia.
Deus pode ser a natureza.
Deus é o universo.
Deus está em você.
Deus é você, ou o que você crê.
Tudo que você vê, sente, acredita é a sua projeção sobre aquilo, portanto sua crença em um deus nada mais é que você mesmo.



"Não é possível convencer alguém que crê, de coisa alguma, pois suas crenças não se baseiam em evidências; baseiam-se numa profunda necessidade de acreditar.” Carl Sagan.

 




Sobre a bíblia, apesar de estudada muitas vezes, muita coisa se contradiz, existem diversas interpretações possíveis, e assim o é com todos os textos infinitamente, é tudo uma questão de perspectiva; a própria foi escrita e alterada diversas vezes por pessoas comuns, historiadores pesquisaram sua origem precisa e desde sempre não se provou sua exatidão plena.
Há infinitas teorias, - assim como religiões que se baseiam- mas cada uma a sua maneira, enfim é um assunto que é tabu para se discutir com pessoas de culturas opostas e muitas vezes leva a divergências e ofensas, porque tendemos a atacar e levar para o negativo tudo que afeta ou contradiz nossas convicções pessoais.
Você está lendo o lado neutro, e nada mais.
Você tem liberdade para ter a fé que quiser.
Se permita questionar.

"Por simples bom senso, não acredito em Deus. Em nenhum." Charles Chaplin.


 

 
Muitos tem um pensamento fechado para se permitir ver "fora da caixa", pois se limitam a pensar que bem e mal dependem da religião, e que o único possível motivo pelo qual existimos se dá a esse ser superior - o que é tremenda desinformação, pois isso é criacionismo, você já nasce sendo ensinado e exposto ao que todos acreditam, logo desde cedo acostuma-se a crer nessa repetição, tudo isso é imposto a você como foi imposto a eles, as crenças e histórias são passadas boca a boca de pai pra filho desde os primórdios, e por sua vez como criança você absorve instantaneamente naturalmente sem questionar, aprende-se o que é passado de geração a geração, assim como a cultura do seu lugar de origem, por exemplo.
Se você necessita de religião pra ser bom, você não é naturalmente uma boa pessoa, mas um cão adestrado.


"A fé pode ser definida, em resumo, como uma crença ilógica na ocorrência do improvável." H. L. Mencken.







Posição 
Somos agnósticos-teístas hoje.
Fomos o que quisemos ser, houve uma escolha, embora quando criança tendo sido apresentados a religião sem possuir opinião formada frequentamos por muito tempo, por questão de família e criação, até poder tomarmos a própria decisão do que era melhor, e concluirmos o que realmente era nossa verdade, ao amadurecer para o que realmente podíamos acreditar.
Achamos fascinante o oculto e sobrenatural, lemos muito sobre tudo, mas sabemos que muitos eventos tem explicação concreta, assim como outros são um mistério; ficamos em aberto sobre certas coisas que não se podem provar, alguns fatos permanecem sem conclusão e sempre será assim e nos conformamos com isso, na vida não teremos resposta para tudo e faz parte, não buscamos uma explicação universal, e a ideia de que o hoje e o agora está nas nossas mãos é a correta para que possamos viver nossa vida da melhor forma, pois como vamos vivê-la só depende de nós.
A religião pode ser um mau se ela beirar ao extremismo e fanatismo, e tudo o que domina, controla e se torna a única e principal prioridade na vida de um ser mais do que tudo e todos pode ser um problema, afinal na vida não temos apenas um lado existem dezenas de segmentos importantes que nos torna humanos e negar certas coisas é negar a natureza do ser, o que não está longe de acontecer para muitos, e sendo isso sincero ou não, não nos baseamos nisso ou nas pessoas para ter essa posição sobre religião, simplesmente não temos porque assim não nos faz sentido, não vemos porque se deve acreditar ou seguir um ideal no momento, e se isso não nos completa nem necessitamos logo nos é irrelevante e dispensável.
Na vida haverão muitas questões sem respostas e aceitar é melhor do que adotar qualquer resposta como a verdade sem qualquer comprovação além de fé e emoções.
Temos nossas concepções, não somos totalmente céticos, mas na religião essa é a nossa posição. 

Esse é o nosso sentido hoje.
Mundo de Helena

"A crença em Deus subsiste devido ao desejo de um pai protetor e imortalidade, ou como um ópio contra a miséria esofrimento da existência humana." Sigmund Freud.






Estudo que explica a origem das religiões e mitologias:






Sigam no Facebook: Clique aqui


Valeu pessoal.

Até a próxima!

 

 

Um comentário:

  1. É isso aí,ninguém é melhor só por estar seguindo ou deixando de seguir tal conceito ideológico de milhares de anos atrás,cada pessoa é resultado do caráter que tem.E é possível ter esse caráter sem precisar viver embaixo do peso de medo e proibição.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

A Perda de um animal de estimação e o filme 4 vidas de um cachorro

A Perda de um animal de estimação e o filme 4 vidas de um cachorro No filme 4 vidas de um cachorro vemos a saga de um cach...