sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Urgente: Vamos falar sobre Assédio



Nessa época de forte campanha a favor das mulheres contra o machismo e o assédio sexual o Mundo de Helena tem uma importante observação a fazer.

Não deixe de ler esse texto até o fim.


Vamos falar sobre Assédio




Parte 1 Informação


A publicidade e a polêmica em torno da acusação de assédio sexual da figurinista Susllem Tonani contra o ator José Mayer jogam luz sobre uma prática recorrente de agressão, e esse caso é apenas mais um exemplo do que atinge dezenas de milhares de pessoas todos os dias.
As mulheres são as vítimas na maioria quase absoluta dos casos.
Houve inclusive esse ano um importante momento na mídia quando Oprah Winfrey fez um discurso inspirado contra o assédio e racismo no Globo de Ouro 2018.


Assédio
O assédio sexual consiste numa manifestação sexual, alheia à vontade da vítima, sem o seu consentimento, que lhe cause algum constrangimento, humilhação ou medo.
Assim, o assédio sexual pode ser tipificado como crime ou contravenção penal, dependendo da conduta do agente.


Muitas vezes, nossa sociedade interpreta o assédio como cantada, ou brincadeira, naturalizando um comportamento machista que é muito danoso para nós mulheres.
Não raro, a culpa pelo assédio sofrido é colocado na própria vítima, como se suas roupas, o local onde está, o horário em que está na rua, a falta de companhia masculina, entre outros, fossem motivos para justificar a atitude do agressor.
O assédio sexual não é paquera nem elogio. É uma manifestação grosseira, independente da vontade da pessoa a quem é dirigida e que pode ser configurado como crime, dependendo do comportamento do assediador.
Não é piada, não é vitimismo, e não merece ser banalizado nem por homens e muito menos por mulheres que com esse comportamento machista envergonham seu gênero e denotam falta de consciência com tal postura com um assunto que deve ser tratado seriamente.
Crime é crime e não existe justificativa para tal.

O governo federal disponibiliza o número 180 (Central de Atendimento à Mulher) para mulheres denunciarem os casos de assédio. Mas em locais públicos ou privados, as vítimas dessas situações podem e devem buscar ajuda de um policial ou segurança do local.
Em situações mais complexas, como quando ocorre durante uma consulta, por exemplo, onde não há testemunhas, a vítima deve fazer a denúncia em uma delegacia e abrir um boletim de ocorrência para dar seguimento a essa denúncia.

Em alguns casos o assédio pode caracterizar até mesmo um crime mais grave, como abuso, perseguição, e outros.
O assédio sexual pode ocorrer em diversos locais, dentre outros, no local de trabalho, no transporte e no espaço público.
O problema do assédio em transportes públicos é tão grave que a polícia da Inglaterra começou a utilizar um vídeo com cenas bem fortes numa campanha que incentiva as denúncias de assédios sexuais nos trens, a chamada campanha “Report it to Stop it”.
Após o início da campanha estima-se que as reclamações cresceram em 30%.

Para provar na justiça que se está sendo vítima de um assédio os requisitos são os mesmos que ocorrem para se provar assédio moral e geralmente dependem de prova testemunhal.
Você pode comprovar assédio sexual apresentando depoimento de testemunhas, documentos, gravações, emails, por exemplo.



Parte 2 Entretenimento



Vamos Conhecer alguns filmes que se baseiam no tema:




Para quem se interessa em ver o tema no cinema há vários títulos para se conferir sobre assédio dentro e fora da internet.
Muitos suspenses se inspiram em fatos reais; mas biográficos ou não, é um tema muito válido a ser abordado, por se tratar de algo que pode ser uma realidade com muitas pessoas.



Atração Fatal (Fatal Attraction) 1987 De Adryan Lyne






Dan (Michael Douglas), um homem de negócios, e Alex (Glenn Close), uma editora de livros, se envolvem em um fim de semana em que a família de Dan está viajando. 
No entanto, para Alex, o envolvimento não foi casual: ela se apaixona por Dan. 
Alex o persegue e quer chamar sua atenção, chegando a níveis extremos.
Tudo isso porque ela quer ficar com ele.  






Close foi indicada ao Oscar pelo papel. 
Atração Fatal conseguiu outras cinco indicações, incluindo melhor filme.
Um suspense de tirar o fôlego.






Mulher Solteira Procura (White Single Female)  1992 de Barbet Schroeder 






Em Nova York a bela Allison Jones (Bridget Fonda), especialista em softwares, tem uma briga com o noivo, Sam Rawson (Steven Weber), quando descobre que ele dormiu com a ex-mulher. 
Então divide seu apartamento e a jovem Hedra Carlson (Jennifer Jason Leigh) vai morar com ela.
No início tudo parece bem, mas logo ela se mostra desequilibrada, pondo em perigo em principal sua companheira de quarto por quem nutre uma fixação mortal inexplicável.






Um filme eficiente com excelente suspense, trilha sonora de qualidade e boas atuações.
Um grande título dos anos 90.






Perseguição (Ratter) 2016 de Branden Kramer






Emma (Ashley Benson), uma estudante de pós-graduação, vive sozinha em Nova York, mas recentemente está sendo vigiada por um perseguidor obcecado que invadiu todos os seus dispositivos pessoais: computador, celular e outros dispositivos conectados a sua webcam - para gravar seus momentos mais íntimos. Como Emma torna-se cada vez mais paranóica, seu mundo começa a desmoronar pouco a pouco.






Roteiro que engloba a perseguição virtual na atualidade.
Um filme moderno e realista sobre uma aterrorizante situação do mundo contemporâneo.
Um pesadelo que pode se tornar realidade.






DeadBolt- A morte está em casa 1992 de Douglas Jackson






Estudante de medicina (Justine Bateman) não consegue se acertar com nenhuma colega de quarto. 
Resolve, então, tentar dividir o apartamento com um homem (Adam Baldwin). 
Mas a escolha errada acaba levando-a a encarar uma situação de crescente terror psicológico, ao se envolver com seu colega de quarto ela percebe que ele não é exatamente o que imaginava.






Um suspense envolvente, carregado de cenas tensas, com começo meio e fim.






Assédio Mortal (Stalking Laura/ I can't make you love me) 1993 de Michael Switzer






Bela e inteligente jovem vai trabalhar em grande empresa. 
Obcecado por ela, um colega de trabalho começa a assediá-la, infernizando sua vida dentro e fora da empresa. 
Baseado em fatos reais.






Este telefilme estrelado por Brooke Shields e Richard Thomas é apenas um exemplo do que pode acontecer em várias empresas e instituições. 
O tema assedio sexual é recorrente na cultura americana, e também no Brasil.
O filme retrata uma triste porém verdadeira história. (em breve post)








ATENÇÃO



Parte 3 Realidade


Por último mas não menos importante, alguns depoimentos reais de vítimas de assédio no Brasil: (As identidades dos depoimentos serão preservadas)



A. G.

Uma vez fui na delegacia da mulher e o cara que me atendeu começou a fazer um monte de perguntas pessoais do tipo se eu sou casada.
Ir fazer um b.o. por violência contra a mulher e ainda ser assediada lá é pra acabar com esperanças de um mundo mais ético.
Eu lá nervosa, angustiada e ainda passo por isso.



A. C. K.
Eu sofri um caso parecido como estudante de Jornalismo.
Passei meu contato para uma fonte me retornar com informações de um caso, e quando acordei no dia seguinte olhei meu whatsapp e estava cheio de mensagens nojentas, e fotos obscenas.
Fui direto na polícia e registrei boletim de ocorrência.
Me encaminharam para a delegacia da mulher, e quando foram procurar o bendito para se explicar, ele já havia sumido.
Nem na cidade voltou.
Depois ele continuou me importunando pra pedir desculpas e com mensagens de que queria conversar.
Não bloqueei por instrução da polícia, que se ele me abordasse de novo eu deveria avisar.
Graças a Deus no fim deu tudo certo.
Mas foi desesperador e eu me senti muito mal com aquilo.



A. O.
Um cara foi fazer um serviço nos computadores da empresa onde trabalho. No dia seguinte deveria ter ido terminar o trabalho, mas sumiu.
Dias depois eu descobri o porquê:
Ele tinha me achado não sei como, no Facebook e começou a me mandar mensagens me assediando.
Um doido.
Eu ignorei e ele parou.
Demorei a ver as mensagens porque elas ficam em outro lugar quando a pessoa não é nosso amigo no face.



J. A.
Há uns 7 anos atrás eu trabalhava num shopping.
Um dia um senhor apareceu por lá todo uniformizado e me entregou o cartão da multinacional onde ele trabalhava, disse que meu perfil profissional se enquadrava no perfil da multinacional e pediu pra que eu mandasse meu currículo para o e-mail dele.
Eu acreditei toda cheia de esperanças pensando que meus dias de ralação no shopping estavam contados e mandei o currículo.
Logo depois o senhor começou a me ligar dizendo que ia me ajudar, eu inocente fui acreditando; mas aí ele começou a ligar com uma certa frequência e a me perguntar coisas pessoais, aí eu passei a rejeitar as ligações.
Depois ele passou a me procurar no shopping, imagina a minha situação: eu estava trabalhando e não podia destratar o cara.
Ele chegou a me levar até presentinhos pra mim na loja e eu ficava toda constrangida.
Não satisfeito um dia ele chegou a ir na minha casa (no currículo tinha meu endereço).
No fim das contas ele foi vencido pelo cansaço de tanto levar foras.
Se fosse hoje eu teria denunciado ele de alguma forma, pedido orientação e ajuda nas redes sociais, mas naquela época o orkut não tinha tanto poder como facebook.
Hoje em dia não coloco mais meu endereço no currículo, no máximo coloco o bairro onde moro.



H.
(Depoimento por Mundo de Helena)

Tudo começou num novo emprego em 2012. E eu só tinha a intenção de trabalhar, fazer minha obrigação da melhor forma possível, e permanecer no meu ambiente de trabalho em paz.
Eu era comprometida. No primeiro dia, ele foi sociável e cordial, e eu sempre fui reservada e ética.
Mas já de início ao chegar em casa vi uma solicitação de amizade no meu facebook pessoal, o que me deixou surpresa, era daquele rapaz quieto, estranho e contido que nada me despertava, afinal porque ele já me enviara um convite ainda nos primeiros dias em que eu entrava naquela empresa, e como achou o meu perfil se eu não tinha dado meu sobrenome pra ele?
Ficou essa dúvida, mas imaginei que ele fosse inofensivo e na ingenuidade aceitei.
Quero frisar que nunca tive nenhum tipo de relacionamento com ele fora o profissional, e nenhum tipo de sentimento por ele, o que torna tudo mais bizarro.
Houveram alguns diálogos inofensivos, em grupo, e nessa época percebia que os nossos amigos de trabalho faziam piadas sobre ele mas parecia ser de cunho sério, dizendo que ele não batia bem e para a gente não confiar nele nem adiciona-lo, mas nessa altura ele já teria acesso a todas as minhas redes porque os links estavam no meu perfil do facebook em que eu já o havia adicionado sem saber.
Chegou 2013, eu continuava na empresa, me enturmei com alguns colegas, fiz alguns amigos.
Além de algumas conversas, sempre em grupo, começaram a rolar uns elogios esporádicos, e até um chocolate que ganhei e que ele pediu que eu mantivesse em segredo; 'se era só um chocolate o que teria de mal que alguém ficasse sabendo?'
Algumas atitudes foram me deixando cada vez mais desconfiada.
Até que achei um gatinho na rua e não podendo ficar com ele perguntei para o meu setor se alguém gostaria de adota-lo. Imediatamente ele foi o primeiro a se manifestar.
Marquei para entregar o gato antes do expediente e ele quis me dar carona até o trabalho, até insistiu, mas não aceitei e fui de ônibus como sempre.
Depois disso tive a primeira situação que iniciou uma série de outros conflitos.
Aquele dia estava diferente dos outros, ao chegar vi que ele me olhou e então elogiou meu vestido e a minha tatuagem que aparecia no ombro pelo fato de eu estar usando alça, fiquei desconfortável mas até então era só um elogio, e não dei importância.
Já era de noite aquele dia, meu namorado me chamou dizendo que queria falar comigo, e que estava indo pra minha casa.
Aguardei ansiosa. Ao chegar aqui ele me mostrou uma suposta mensagem que teriam enviado a ele de um facebook feminino desconhecido, dizendo que eu o traía, e ao ver que ele não deu credibilidade a tal pessoa ainda disse meu nome completo, local de trabalho e a hora que eu saía de lá.
Detalhe: esse perfil estranho estava como amigo no facebook desse mesmo rapaz que trabalhava comigo.







Eu apenas sabia que aquilo era uma calúnia, porque da minha fidelidade não tinha dúvida, mas até então porque estariam me difamando daquela forma não fazia ideia, naquele momento enviei uma mensagem via face a esse amigo, logo vi que ele havia enviado um elogio para mim antes.




Então o questionei do porquê de uma amiga de face dele inventar coisas de mim sem me conhecer, e ele apenas titubeou na resposta alegando não entender.






Juntos, e eu meu namorado conversamos e raciocinamos até chegar numa conclusão.
Juntamos alguns fatos, primeiro: aquele perfil que disse aquilo estava no perfil desse colega de trabalho, segundo: há alguns meses antes uns 3 perfis suspeitos femininos tinham tentado adicionar meu namorado e ele não aceitou e também estavam como amigo do perfil do tal, terceiro: um suposto perfil que estava como namorada desse colega de trabalho um dia também enviou uma mensagem para meu namorado dizendo oi, e óbvio não obteve resposta.
Analisando todos os perfis, eles possuíam poucas fotos, maioria das curtidas em comum, alguns eram amigos um do outro, as fotos não nítidas e fotos de pessoas diferentes no mesmo perfil, dando a clara conclusão de serem fakes.
Então pensei, quem poderia estar por trás de tudo isso? Obviamente que a mesma pessoa que estava em todos esses perfis e que estava se mostrando interessado em mim na empresa.
No dia seguinte, cheguei nele e o confrontei sobre o fato.
Ele se mostrou vacilante e evitando contato visual disse que não sabia e que poderia ser alguém a fim do meu namorado que falara aquilo, quase até gaguejou. Não tinha mais dúvida. Era ele. Eu só disse que não estava gostando daquilo e achei ridículo aquela atitude. Ficou desse jeito. Mais tarde então fui checar as mensagens do meu facebook com atenção, e entrei numa caixa de entrada onde ficavam solicitações de mensagens, até então eu não sabia que existia isso, (que são mensagens de pessoas que você não tem adicionado e nem amigos em comum) elas ficam lá e são filtradas pra você decidir se aceita ou não, e algumas estavam marcadas como spam e nem se podia visualiza-las, com certeza pelo perfil ter sido removido pelo facebook ou por conter conteúdo indevido.




Qual não foi minha surpresa mas haviam dezenas de mensagens me ofendendo e difamando meu namorado, os nomes mudavam mas a abordagem era a mesma em todos.
Eu nunca cheguei a ver essas mensagens antes, eram até de meses atrás. Meu namorado checou o perfil dele e se deparou com a mesma coisa, algumas mensagens até do mesmo perfil, e todos esses perfis estavam no perfil do suspeito.









Fiz meu primeiro b.o. contra ele nessa época por calúnia e difamação.
Segui minha vida. É claro que alguns colegas de trabalho ficaram sabendo do que houve, e mais de um deles me alertou dizendo que ele não era de confiança, e que havia feito algo semelhante a outra moça que havia trabalhado lá antes de mim, o que pra mim esclareceu tudo.
Nesse mesmo dia me lembrei que estava com dois dvds dele que havia me emprestado antes disso tudo acontecer, e como eu passei para outra amiga da mesma empresa assistir, pedi que ela os entregasse porque não havia mais motivos para que eu tivesse qualquer contato com ele; e ela no mesmo dia os entregou. Na hora do expediente ao dar uma pausa para ir rapidamente ao banheiro topei com ele no corredor que me seguiu até o banheiro e me esperava perto da porta, dizendo que havia emprestado os dvds pra mim em mãos e que eu tinha que devolver diretamente pra ele.
Sem acreditar no que eu estava ouvindo eu pedi que ele não me dirigisse mais a palavra. Uma amiga de trabalho estava no banheiro nesse momento e presenciou tudo.  Ao voltar pra minha mesa de trabalho, meu amigo ao lado apreensivo pediu que eu olhasse dentro da minha gaveta, não entendi o porquê e abri a gaveta: para minha surpresa estavam lá os mesmos dvds.
Antes de eu ter qualquer reação, minha amiga ao lado ao ver aquilo pegou os dvds e levantou indo até ele e os jogando na mesa o questionou do porque ele estaria fazendo aquilo comigo, se ele era louco. Ele debochado e irônico, totalmente fora do senso comum repetia que tinha emprestado pra mim e que por isso era pra mim devolve-los, eu perdi a linha e comecei a ofende-lo na frente de todos, ele tornava a repetir que havia emprestado pra mim e se eu havia gostado, como se não tivesse nenhuma noção da situação que causara, e de como soava perturbado.
Meu amigo dizia pra mim não responder que não valia a pena.
No outro dia solicitei a moça do RH da empresa e pedi permissão para conversar. Ao subir expliquei tudo para ela, e jamais teria tomado essa atitude se não tivesse chegado onde chegou, e então ela me disse que não havia sido a primeira vez que ela recebia reclamações dele, e que outra funcionária de lá antes de sair também fizera as mesmas queixas quanto a ele, e não disse mais nada a não ser que falaria com ele sobre aquilo, eu agradeci e aguardei afinal não queria o mal de ninguém apenas que aquilo fosse esclarecido para que eu prosseguisse em meu trabalho sem mais inconveniente.
No outro dia ao entrar em algumas redes sociais que eu usava peguei mensagens dele do próprio perfil com ironia como se nada tivesse acontecido, inclusive dizendo que me veria na empresa no outro dia.  Foi quando tive certeza de que ele teria sérios problemas psicológicos.
No dia seguinte ele saiu depois do almoço e não voltou mais, e no outro dia, outro colega de trabalho me disse que havia dito para ele que o RH estaria sabendo, e outro rapaz me informou que ouviu ele dizer que havia matado o gato que adotou por mim e para outro disse que estava saindo da empresa porque meu namorado era ciumento, o que nem fazia sentido, sendo que eu jamais havia tido algum tipo de comportamento impróprio com ele que despertasse isso na minha relação, ele quem estava me perseguindo. No fim das contas o machismo quer sempre culpar as mulheres por tudo, e para ele era muito conveniente inventar isso a assumir o que estava fazendo.
Depois disso só o que fiquei sabendo foi que ele havia pedido as contas de lá, e estava óbvio o porquê, se ele não tivesse feito nada daquilo não tinha porque fugir, além disso, todas as evidências apontavam para ele. Ao sair de lá naquele fim de semana pensei de verdade que esse assunto ficaria para trás, mas vi o contrário ao entrar nas minhas redes na internet.








Ele estava aborrecido e queria me incomodar; deixou comentários em quase todos os meus vídeos usando o próprio nome.
Ignorei; foi quando no meu face e do meu namorado as mensagens prosseguiam, nos mesmo tipos de contexto, nessa época deixei meu perfil desativado por um tempo, depois voltei, o tranquei e modifiquei a foto e o nome de perfil para ver se as coisas se acalmariam, mas ele já devia ter o link do perfil porque continuou, e numa ocasião até me perguntou usando o próprio perfil porque eu tinha removido a foto e o nome e se eu estava me escondendo.
Foi então que ele me enviou outra mensagem dizendo que não gostava mais de mim e tentando despistar sobre tudo aquilo que havia acontecido.






Após isso eu deletei todas as minhas redes, apaguei a maioria dos vídeos do youtube,  e refiz outro facebook, e outras contas, o novo face deixei fechado; não coloquei foto minha no perfil, e fui devagar readicionando todos os meus amigos.
Tudo parecia normal, até que um dia uns colegas de trabalho vieram me dizer que haviam adicionado uma menina estranha no face e que ela havia postado um vídeo meu do youtube.




Eu possuía uma página em que era administradora no face, e ele sabia do fato e esse perfil apareceu lá também mandando mensagem na página já que não havia conseguido encontrar meu perfil.



E nesse meio tempo alguns colegas de trabalho falaram com esse perfil fake e ele ofendeu a maioria. Após isso esse fake sumiu.
Fui num evento em que infelizmente sem saber me marcaram numa foto pública e aí foi o bastante, ele encontrou meu perfil, e voltou a vez por outra enviar alguma coisa com o intuito de me atormentar.









Ele enviava as mensagens de algum fake, sempre escrevendo da mesma forma, e como de costume me bloqueava do perfil depois eu só visualizava sem a possibilidade de responder, mas também não perderia meu tempo. Um dia meu namorado e eu estávamos no shopping e ao chegar no ponto encontrei exatamente ele esperando o ônibus.
Ele pareceu petrificado ao nos ver, e eu também não tive reação a esboçar, levando em conta que pra mim aquela presença era a mais hostil. Comecei a gesticular para meu namorado que era ele ali enquanto ele falava comigo, mas quando chegamos perto vimos que havia entrado no ônibus e sumido.
No mesmo dia com um perfil estranho ele veio zombar de nós dizendo por mensagem no facebook que nos viu no ponto de ônibus.
Se é que restava alguma dúvida de que seria ele, essa dúvida não existia mais.






Em 2014 após um tempo a poeira baixou, por fim eu sai daquela empresa, e se passaram alguns meses.
Estava mexendo no meu perfil de escritor onde publico meus textos, quando recebi comentários em algumas das minhas obras, e em especial um comentário pretensioso e estranho de uma suposta mulher dizendo que tinha uma editora e pedindo meu contato, achei muito estranho aquele assédio todo e não respondi.
Até que certo dia entrei nesse mesmo site, e quando me dei conta um perfil usando um pseudônimo similar ao meu e com uma foto minha havia comentado várias das minhas poesias.  Ao entrar nesse perfil na maioria dos textos e contos havia o meu nome ou mencionava algo, era o mesmo perfil anterior só que com uma foto minha.











Denunciei ao site que tomou as devidas providências e quando vi tempos depois a mesma enxurrada de comentários apareceu em outra rede minha, e assim por diante.
Bloqueei tudo, e tirei o recurso de comentário.
Fui seguindo minha vida, como sempre, e vez por outra aparecia alguma coisa dele no face e no perfil que eu tinha de filmes, por não ter recurso de privacidade nos recados desse site.
Até que em 2015 um número estranho me enviou uma mensagem com um coração no meu whatsapp, eu achei muito estranho, então o mesmo número passou a me ligar constantemente aqui, e por ser desconhecido eu não atendia.
Meu tio veio me informar que ele ligou para ele perguntando o porquê eu não atendia as suas ligações, e ele não deu atenção. Entrei no facebook, e para minha surpresa ele estava rackeado, e eu não conseguia entrar, então conclui que ele havia conseguido meu número pelo face, pedi pra minha irmã olhar e havia até uma nova foto de perfil adicionada no meu face, em que estava eu e o meu gato, e essa foto era minha, mas eu não a tinha mais, devia ter deletado, mas como ela foi parar no face?
Entrei em contato com a ajuda do facebook até conseguir meu perfil de volta.
Foi aí que minha prima me alegou ter recebido mensagens de um perfil que ela não conhecia, e esse perfil passou a ofende-la e lhe enviar pornografia.








Então conclui que ele tivesse pego o número dela, o meu e o do meu tio no meu face quando rackeou, pois haviam trocas de mensagens com os números lá.
Após isso, uma noite estava conversando no whatsapp, quando de repente meu celular começou a ser bombardeado com dezenas de mensagens de pessoas, homens, de ddds do país inteiro, eu bloqueava um e aí outro surgia com mensagem, até que perguntei pra um deles como ele tinha meu número, e ele respondeu que era do grupo whatsapp+18 do facebook, e eu disse que não estava em grupo nenhum e era engano.
De repente meu celular travou de tanto grupo de pornografia em que eu estava sendo adicionada no whats, foi então que vi até onde chegava a baixeza dele, deletei meu whatsapp e troquei de número.
Em 2016 as mesmas mensagens de vez em quando apareciam no meu perfil do facebook, e no site de filmes vez por outra, mas eu não entrava muito lá.






Até que ele encontrou outro meio de me enviar ofensas; o instagram, quando eu me distraía; e ia olhar meu perfil, ele estava la usando o insta para chamar atenção, e enchia minhas fotos de spam com comentários de baixo nível.









Chegou a deixar mensagens em instagram de namorado, irmã e até de amigos, já fez fake no facebook, adicionou amigos meus, e enviou mensagens de ofensa a eles e a mim.
Nessa ocasião pedi ajuda para denunciar o falso perfil, e ele foi removido.
Esse são apenas alguns exemplos de dezenas:














Um certo dia apareceram 2 perfis fakes no facebook usando meu nome e minha foto e me enviaram convite.




Pedi ajuda para denunciar, e com certeza também tive o perfil denunciado por ele, porque ele foi deletado pelo facebook, provavelmente também pela confusão de identidades, depois comprovei minha identidade para o facebook pra ter o perfil novamente reativado, e essa mesma situação aconteceu com meu perfil do instagram.
Fora as inúmeras tentativas de rackear perfil e emails que apareciam.










Ele me mandava mensagens me ofendendo sempre que via algo meu no perfil de alguém, com algum namorado; após algum rompimento, e até no dia do meu aniversário.









O meus últimos namorados o conheceram por meio de mensagens que receberam em recados sempre os ofendendo e me difamando.












O tempo passou.
Tive o perfil de filmes invadido e mensagens em que falava com um amigo divulgadas a um ex com o intuito de apenas tirar a minha paz e me difamar, e sei que isso foi na tentativa de me intimidar, mas não devia satisfação da minha vida e nem estava cometendo crime algum.
Meses depois, num dia normal de fim de ano, um ex namorado que ainda era meu amigo veio conversar comigo e disse que recebera um email estranho me caluniando e com muitas fotos minhas, com amigas, e inclusive fotos íntimas.
Fotos pessoais, dos meus arquivos privados, que não eram de mais ninguém e ninguém tem nada a ver com isso.
Não tenho que me justificar por ter uma vida uma vida pessoal, e isso não da o direito a ninguém de expor a minha intimidade.






O mais estranho de tudo mas não improvável era ele estar de posse dessas fotos visto que não teria como haver acesso, ai entra a possibilidade de invasão de PC, e a mais provável: de invasão de domicilio, pois eu tive uma ocorrência numa noite em que invadiram meu quarto, se trancaram na parte de cima da minha casa e eu tive que chamar a polícia em 2016, mas no momento em que os policiais entraram na minha residência o estranho havia fugido do local sem levar nada meu, e isso ficou assim.
Qual seria o propósito dessa invasão se nada físico foi levado? Provavelmente uma invasão a meus arquivos pessoais.
Em 2017, meses depois, essas fotos foram parar num twitter que ele fez com o meu nome me descrevendo como garota de programa e que seguia vários amigos e até minha irmã.






Foi então que fiz o segundo b.o., dessa vez na delegacia da mulher, onde deram andamento num processo de assédio me instruindo como formalizar uma queixa crime por difamação e assédio, e invasão de privacidade, e também denunciei o tal perfil para o ministério da justiça online.
Eu tenho tudo que ele já me enviou printado completo e arquivado como evidência, aqui mostro apenas um terço de tudo.
Desde então estou aguardando, não são coisas fáceis, rápidas, ou gratuitas para prosseguir, mas não vou desistir.
Também entrei em contato com a família dele por facebook pedindo colaboração da parte dele, expliquei detalhadamente tudo e disse que tinha provas o que é um fato, e me disponibilizando a até mostrar se assim quisessem, pois só queria resolver tudo aquilo para que cessasse em paz sem envolver medidas extremas, porque ele deveria pagar por seus crimes, obtive resposta de uma irmã que disse que ia conversar com a mãe e só, a outra irmã já foi logo dizendo para que eu falasse com a mãe diretamente, pois a mãe não acreditava em nada do que ela dizia apenas nele, por isso já logo conclui o nível de influência dele e como ele devia ter a confiança incondicional da mãe que nem tem conhecimento da índole do próprio filho.
Na segunda tentativa de contato com eles, recebi uma resposta hostil lavando as mãos do caso mandando eu resolver na polícia e nada mais.
Não dá pra sentir nada a não ser pena.
Nem sei se eles sabem de fato quem ele realmente é, mas deixaram claro que não e isso não me surpreende, infelizmente sei que é uma realidade previsível em muitos casos assim.
Não sei se a mãe dele desconfia da pessoa que ele é de verdade, mas acredito que não.
Após eu entrar em contato com a família dele a primeira vez ele tentou me contatar 3 vezes por rede e ligando novamente pro meu tio pedindo pra conversar, alegando que aquilo eram mentiras dele e etc, toda a sorte de desculpas.
E assim foi.
Sei que ele tem dados meus e fotos arquivadas que roubou da minha rede e dos meus perfis, e por vezes ele já me enviou essas fotos.

















Chegou 2018.
Não refiz mais nenhuma rede que desativei, as que ainda tinha tranquei alguns recursos, e as que não havia possibilidade de privacidade deletei.
Mas não deixei de ter meus canais e veículos onde divulgo meus trabalhos e textos, porque não vou deixar minha vida por alguém que quer viver em função dela gastando o  tempo para incomodar e chamar atenção.
A última que fiquei sabendo foi se passando por uma editora para pretexto de conseguir meu contato com minha família, que já está instruída assim como os meus amigos; e todas essas abordagens com falsas identidades são crimes previstos em lei, e tem consequências.
Sei que um ser desse tipo não tem empatia nem as emoções ordenadas e muito menos sabe lidar com os próprios desejos e rejeições, denota não ter noção de limites e de humanidade para lidar com as pessoas em sociedade.
E o pior de tudo é que existe gente assim aos montes e isso pode acontecer a qualquer um, quem é realista sabe.
Deixo aqui meu alerta a quem usa indiscriminadamente redes sociais na internet sem privacidade e adiciona a qualquer um sem buscar saber quem se encontra atrás de um perfil desconhecido, fique atento com que tipo de pessoa você compartilha seus arquivos e sua vida.
Nem todo mundo é quem diz ser, pessoas mau intencionadas e até hackers se encontram numa quantidade assombrosa no mundo virtual; onde há espaço para esse tipo de maníaco usar dos meios de internet sem ser desmascarado.
Preste atenção com quem você compartilha seu perfil pessoal, e o que você divulga.
Parece banal, mas crimes são cometidos todos os dias através de uma tela de computador.
Ontem foi assim, amanhã eu realmente não sei.
Eu não tenho porque mentir, não ia ganhar nada com isso e nem é da minha índole, quem me conhece sabe da minha franqueza e nunca pensei que isso poderia acontecer comigo, tão pouco esperava lidar com uma mente doente dessa forma.
E eu sei que não fui a única.
Eu sinto muito ter que contar esse fato, mas é real e aconteceu comigo.
O tempo e a justiça se encarregarão do resto.



                                                         *          *          *








"Justiça é consciência, não uma consciência pessoal mas a consciência de toda a humanidade. Aqueles que reconhecem claramente a voz de suas próprias consciências normalmente reconhecem também a voz da justiça."
A. S.


Quando você ignora um crime ou finge não ver você está sendo cúmplice dele.



Delegacia Eletrônica: clique aqui
Informações Delegacia da Mulher: clique aqui
Disque Denúncia: 180






                                                             *           *          *



O Mundo de Helena agradece a todo o apoio dos envolvidos, a todo esclarecimento e ajuda dos solicitados, dos meios legais, e todos os leitores.
A quem já passou por esse tipo de situação saibam que não estão sozinhos.
Vamos lutar por nossos direitos, juntos somos um só.
Se você passou por algo parecido entre em contato conosco.
O Mundo de Helena está aberto a quem quiser contar sua história.
A força está com vocês.
Até a próxima.









A Perda de um animal de estimação e o filme 4 vidas de um cachorro

A Perda de um animal de estimação e o filme 4 vidas de um cachorro No filme 4 vidas de um cachorro vemos a saga de um cach...