quarta-feira, 29 de junho de 2016

Sobre Depressão


Depressão



A depressão é um distúrbio afetivo que acompanha a humanidade ao longo de sua história.
No sentido patológico, há presença de tristeza, pessimismo, baixa autoestima, que aparecem com frequência e podem combinar-se entre si. É imprescindível o acompanhamento médico tanto para o diagnóstico quanto para o tratamento adequado.


Causas
A depressão é uma doença. Há uma série de evidências que mostram alterações químicas no cérebro do indivíduo deprimido, principalmente com relação aos neurotransmissores (serotonina, noradrenalina e, em menor proporção, dopamina), substâncias que transmitem impulsos nervosos entre as células. Outros processos que ocorrem dentro das células nervosas também estão envolvidos.

Os fatores psicológicos e sociais, muitas vezes podem ser tanto a causa como a consequência desse mal, tudo varia conforme o caso, e cada um é particular.
Vale ressaltar que o estresse pode precipitar a depressão em pessoas com predisposição, que provavelmente é genética.
A prevalência (número de casos numa população) da depressão é estimada em 19%, o que significa que aproximadamente uma em cada cinco pessoas no mundo apresenta o problema em algum momento da vida.


Sintomas
Humor depressivo ou irritabilidade, ansiedade e angústia.
Desânimo, cansaço fácil, necessidade de maior esforço para fazer as coisas.
Diminuição ou incapacidade de sentir alegria e prazer em atividades anteriormente consideradas agradáveis.
Desinteresse, falta de motivação e apatia.
Falta de vontade e indecisão.
Sentimentos de medo, insegurança, desesperança, desespero, desamparo e vazio
Pessimismo, ideias frequentes e desproporcionais de culpa, baixa autoestima, sensação de falta de sentido na vida, inutilidade, ruína, fracasso, doença ou morte.
A pessoa pode desejar morrer, planejar uma forma de morrer ou tentar suicídio.
Interpretação distorcida e negativa da realidade: tudo é visto sob a ótica depressiva, um tom "cinzento" para si, os outros e o seu mundo.
Dificuldade de concentração, raciocínio mais lento e esquecimento.
Perda de interesse em atividades e hobbies que gostava.
Esse é um dos sintomas de depressão mais reveladores da doença. A pessoa não tem mais vontade alguma de fazer coisas que antes adorava. E, assim, a pessoa depressiva vai lentamente se isolando do mundo, recusando convites e qualquer outro motivo para sair de casa.
Diminuição do desempenho sexual (pode até manter atividade sexual, mas sem a conotação prazerosa habitual) e da libido.
Perda ou aumento do apetite e do peso.
Insônia (dificuldade de conciliar o sono, múltiplos despertares ou sensação de sono muito superficial), despertar matinal precoce (geralmente duas horas antes do horário habitual) ou, menos frequentemente, aumento do sono (dorme demais e mesmo assim fica com sono a maior parte do tempo).
Dores e outros sintomas físicos não justificados por problemas médicos, como dores de barriga, má digestão, azia, diarreia, constipação, flatulência, tensão na nuca e nos ombros, dor de cabeça ou no corpo, sensação de corpo pesado ou de pressão no peito, entre outros.


Tratamento
O tratamento pode ser medicamentoso, e com terapia.
Conversar com um especialista, buscar ajuda de alternativas diferentes e naturais também pode ajudar muito.
Está provado que antidepressivos sem estarem aliados a uma terapia não produzem o efeito esperado.

Alguns pacientes precisam de tratamento de manutenção ou preventivo.
A psicoterapia ajuda o paciente, mas não previne novos episódios.
A técnica auxilia na reestruturação psicológica do indivíduo, além de aumentar a sua compreensão sobre o processo de depressão e na resolução de conflitos, o que diminui o impacto provocado pelo estresse, e já é uma grande evolução.



Depressão nervosa
Seria o mesmo problema porém ocorre de uma forma diferente.
Se caracteriza por um distúrbio do humor que leva à persistente sensação de tristeza e perda de interesse.
Medicamentos por um curto prazo podem ajudar nesse estágio.
Suas causas incluem desequilíbrio químico do cérebro e acontecimentos desgastantes, como a perda de um ente querido entre outros.
Tristeza persistente ou perda de interesse podem levar a uma ampla gama de problemas emocionais e físicos.
Eles incluem a incapacidade de dormir ou de concentração em tarefas. Alterações do apetite, níveis de energia reduzidos e pensamentos suicidas também são observados.
O tratamento básico é a psicoterapia com um psicólogo formado e dependendo do caso, medicamentos por um período.



Depressão é um problema sério, e que envolve o corpo todo e não só a mente como muitas pessoas pensam.
Não deve ser tratado como algo ignorável.
Uma pessoa nessa condição mesmo que não consiga admitir, sabe que algo está errado, e ao contrário das pessoas comuns não pode melhorar por conta própria nem consegue reagir naturalmente pra sair desse estado.
Não é fossa passageira, ou decepção.
Tão pouco períodos difíceis e de tristeza devem ser confundidos com uma depressão profunda e tratados como tal.
A pessoa deprimida percebe que seus sentimentos diferem de uma tristeza anteriormente sentida.

Algumas pessoas procuram ocupar-se ao máximo para distrair-se e afastar o mal-estar sentido. Podem ficar mal-humorados, ou melancólicos, sempre insatisfeitos com tudo.
Lutam contra a depressão sem saber que sofrem dessa doença.
Essa luta lhes rouba a pouca energia que lhes sobra. Com isso, ficam piores, mais irritados e impacientes.

Na depressão grave, o indivíduo se isola, perde o interesse pelas coisas. Nesses casos, perde-se a vontade de tudo e a situação do paciente torna- se crítica, deixando de fazer atividades simples que antes pareciam normais mas que agora são um peso, ou impossíveis de serem realizadas, como levantar da cama, tomar banho, comer, etc.
Depressão não é uma escolha, nem um estado de espírito e pode acometer sem motivo uma pessoa normal como qualquer outra.

A evolução e a recuperação do indivíduo deprimido dependem muito do apoio e compreensão de seus familiares e amigos.

Ao contrário do que muitos pensam depressão tem controle, e pode se ter uma vida normal e supera -la se assim o quiser, mas não é possível sem luta.


Para melhor compreensão:








Sobre os anti depressivos


Em muitos casos eles são requisitados e necessários e certamente não se pode ser 100% contra remédios, porém há algumas observações a se fazer:
Os medicamentos mais fortes para depressão, como Diazepan, Clonazepan (rivotril) e similares são muito prescritos em diversos casos, mas o que muita gente não sabe é que é necessário extremo cuidado.


Sobre o uso de Rivotril:


"O problema não é o Rivotril e seus colegas benzodiazepínicos, mas o uso que se faz deles.
A necessidade de viver como se a vida fosse uma timeline divertida do Facebook cheia de jantares, viagens, compras incríveis, festas, vídeos engraçados e só coisas legais, não os permite enfrentar as adversidades da vida, e a própria vida, sem uma “pílula mágica”.
São pessoas que não tem transtorno mental algum, mas tomam uma pílula pra acordar e outra pra dormir graças a médicos tão "normalóides" quanto eles que prescrevem essas drogas tarja preta de maneira completamente arbitrária e irresponsável. Tem até dentista prescrevendo Clonazepan.

No caso específico do Rivotril, ele é um dos remédios mais vendidos no nosso país Tropical, mais até do que o analgésico paracetamol. Só em 2013 foram 13,8 milhões de caixas.
Os executivos da bilionária indústria farmacêutica agradecem. Graças a essa inconsciência toda, seus bônus que já tiveram redução, continuam bem altos.
Agora, se uma pessoa sofre de transtorno mental e periga surtar, o clonazepan talvez possa AJUDAR MUITO!
E quando digo surtar me refiro a pessoas que sofrem de transtornos como depressão e bipolaridade, e podem romper com a realidade. Pessoas que estão em extremo sofrimento psíquico e podem colocar não só suas vidas, mas a de outros, em perigo.
Porém tais remédios são drogas que causam dependência não só psicológica mas física também.
Aliás, esse é o maior risco do uso contínuo do “santo” remédio, junto com as crises de abstinência, que geram psicoses, distúrbios do sono e ansiedade.
Tudo aquilo que o cidadão quer combater quando começa a tomar o Rivotril, vai ser reforçado pelo próprio!
E mesmo que você tenha orientação médica pra usar o Rivotril, você não tá livre desse risco de se viciar no remédio, não!
Segundo os próprios especialistas: “Não há doses seguras de clonazepan contra a dependência“, pasme!
Por isso Rivotril deveria ser usado apenas nos casos extremos mesmo."


Por Ana Maria Saad









Depressão é algo incapacitante, torturante e muito complicado, pode vir por fatores externos, traumas, ou situações semelhantes, mas também pode vir sem motivo algum; não é uma escolha, e  atinge muito mais pessoas do que se imagina, em diversos níveis.
Por ter vivido isso, e lutado contra a condição minha vida toda praticamente, estou aqui pra compartilhar com vocês um pouco da minha história, e trazer a esperança, porque existe alivio e há saída, sempre haverá, mas para isso é preciso aceitar, se admitir o problema e buscar ajuda.
Eu já me senti só, oprimida, sem motivação nem prazer.
Aquele desanimo recorrente, incapacidade de se poder fazer qualquer coisa por ser exaustivo, e até o simples ato de se levantar se tornar impossível.
Uma tristeza e vazio inexplicáveis, que não passam naturalmente, e que não tem explicação nem sentido algum.
Eu sei o que é aquela sensação aflitiva de medo e vazio que não vai embora.
Eu também acreditei que não havia saída para mim, mas a morte não nos deixa escolha; e enquanto há vida há esperança: é preciso lutar.
Não será fácil, uma vez que se luta contra um estado depressivo resquícios podem ficar e é preciso força e perseverança para se conviver com recaídas, mas nada está perdido, nem é efetivo em nossas vidas.
Também não é simples para os que convivem com deprimidos aceitar, conviver e compreender sem julgar como exagero, drama, ou uma condição de vítima imposta por quem sofre, só quem possui sabe o quanto é complicado, é preciso paciência e amor, afinal esta é uma condição humana que qualquer um pode chegar a desenvolver.
Não julgue, apoie.
Se não puder entender busque humanidade, tenha empatia pelo seu próximo, pesquise e una informações para se aprofundar no problema que você não possui, se informar pode ser esclarecedor para tolerar essa condição, que é uma doença incapacitante.
Se não puder lidar, não diga nada, só esteja presente.
Eu sou uma sobrevivente.
Nós não estamos sós.

E isso não é nenhuma vergonha.
Helena Dalillah





Alternativas naturais:
Existem tratamentos da medicina integrativa e natural, que podem ajudar muito, e ainda tem a vantagem de não possuírem efeitos colaterais como os medicamentos comuns.
Entre os quais são:

Hábitos saudáveis
A) Abandonar o sedentarismo;
B) Praticar yoga: o “psicotrópico não
químico”;
C) Praticar Meditação para
ganhar controle da sua mente ;
D) Fazer uma Terapia moderna pra você
se autoconhecer:
- Análise Bioenergética
- Terapia Transpessoal
- Terapia Holística

E mais:
Acupuntura
Aromaterapia
Análise
Biodança
Chi-Kung
Cromoterapia
Do in
EFT
Florais
Homeopatia
Massagens
Meditação Ativa
Musicoterapia
Terapia Ortomolecular
Arte terapia
Reiki
Renascimento
Rolfing
Tai-chi-chuan
Relaxamento
Terapia Artística
Terapia Transpessoal
Yogaterapia



Quer saber mais?
Clique aqui!





Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma
coisa e esperar resultados diferentes.

Albert Einstein 



Veja também: Sobre Aborto



Até a próxima!




segunda-feira, 27 de junho de 2016

Nívea Viva Rock Brasil 2016: São Paulo


Nívea Viva Rock Brasil



Nívea Viva Rock Brasil é uma turnê conjunta sendo o quinto projeto da "Nivea".




As apresentações aconteceram em sete capitais brasileiras entre abril e junho, começando por Porto Alegre (RS), seguindo para o Rio de Janeiro (RJ), Recife (PE), Fortaleza (CE), Salvador (BA), Brasília (DF) e São Paulo (SP) – em apresentações gratuitas, ao ar livre, para todas as famílias e gerações amantes do Rock.




O ano de 2016 recebeu a quinta e última edição do Nívea Viva, evento que trouxe grandes homenagens à música brasileira.
Nesta edição, a marca homenageou o rock nas vozes de: Marjorie Estiano, Paralamas do Sucesso, Paula Toller e Nando Reis.
O ultimo show ocorreu em São Paulo, em 26 de junho de 2016, na praça Heróis da FEB.





O show começou com grande energia na voz de Paula Toller com a música "Banho de Lua" e prosseguiu animado com Nando Reis cantando "É proibido fumar".

A interpretação de Nando Reis do grande sucesso "Gita" de Raul Seixas, com certeza foi um dos momentos marcantes do projeto.




Em seguida o publico; de cerca de 250 mil pessoas vibrou com os sucessos "Óculos" e "Meu erro" dos Paralamas, que animou  o evento.





Mas o ponto forte do show sem dúvida foi a presença de Dado Villa Lobos, do Legião, interpretando um dos sucessos do Poeta Renato Russo, "Tempo Perdido", o momento mais emocionante do concerto.
Emoção contagiante e extremamente nostálgica.






Liminha  foi um dos músicos convidados, junto a Dado:





Marjorie Estiano interpretando "A Praieira" de Chico Science:





Dado Villa Lobos também interpretou outras canções, entre elas, "Será" de Legião, e "Anna Júlia" de Los Hermanos.






Outro momento marcante foi o músico Rodrigo Suricato com a canção "Monte Castelo", que teve grande participação do público.
Pra finalizar com chave de ouro todos os músicos voltaram num bis surpreendendo a platéia e mandaram "É preciso saber viver e "Agora só falta você."
Um show inesquecível sem sombra de dúvida.








Foi um prazer estar entre essa galera:







#NíveaVIVARockBrasil







Rock'nroll é história.
Rock'nroll contagia!
Rock'nroll é vida.



Helena Dalillah








sexta-feira, 10 de junho de 2016

Poesia: Vida




Qual o sentido da vida?





Vida


Eles dizem que é bela
eles dizem pra vivê-la
quem pode nos orientar?
Como devemos proceder?
Nada faz sentido
o mundo perdeu a cor
fantasia... ou nunca houve?

Extremo sofrer
a alegria do inocente se desfez
o sorriso virou máscara
uma risada sincera: utopia
vejo as crianças brincando
e rio de ironia...

Caminho e observo:
Viver sorrir trabalhar.
Qual a conclusão?
Sustento cópula reprodução...
Você vai envelhecer e definhar
em pó se tornar.

O espelho com o tempo
uma triste história vai contar...
Não haverá mais sabor, cor.
Não há realidade
Não há para sempre. Ninguém sabe a verdade.
O mundo é artificial de plástico.
Como viver sabendo do final?
Viver como se fôssemos eternos?

Acordar cada dia e seguir, sem pensar?
Usando sua máscara
Desmascarando o outro.
Cada dia mais injusto
muitos tem tudo outros tem o vazio
Nascer pra sangrar. Viver pra flagelar...
Acordar, menosprezar... ao outro torturar

Para que estou aqui?
Para que fim o existir?
Porque tanta dor?
Porque o nascer,
o sofrer para Morrer?
que proveito se tira
no meio tempo do viver?


Helena Dalillah


Copyright
Direitos reservados.  
A Lei de Direitos Autorais n° 9610/98, especialmente o Art. 29, expressa claramente a necessidade de autorização prévia do autor para utilização da obra, por quaisquer modalidades. Aos autores pertence o direito exclusivo de publicação ou reprodução de suas obras.




terça-feira, 7 de junho de 2016

Reflexão: Opinião, respeito e Intolerância na Internet



Opinião, respeito e Intolerância na Internet






A era digital

Hoje pode-se ver que os tempos são outros e muito diferentes do que eram há anos atrás.
Com o avanço da tecnologia, e internet, pode-se ter acesso a muitos conteúdos, pessoas, fatos, lugares, informações, enfim.
Mas isso também deu voz a todos.
E não só a quem tem o que dizer mas também a quem não tem, e que além disso se utiliza de suas redes pra ofender, perseguir e denigrir os outros.
Hoje em dia com a facilidade que se tem para opinar e dividir coisas com milhões de pessoas no Brasil e mundo, a intolerância também tem crescido, estamos inclusive na era do "politicamente correto" onde praticamente tudo ofende e nada pode ser dito apenas por ofender quem não concorda.


Repercussão
A violência na internet não tem tamanho.
Um simples comentário pode gerar atritos inimagináveis e transformar a vida de uma pessoa, ofender, sujar sua reputação, tirar sua paz, etc.
O nível de educação está cada vez mais baixo e o respeito por sua vez menor.


Ofensas na Internet/ Estimativas
As mensagens violentas ganharam espaço na internet no Brasil.
Nos últimos três anos, aumentou 203% o número de páginas denunciadas por divulgar conteúdos de intolerância racial, religiosa, neonazistas, xenofobia e homofobia ou por fazer apologia e incitação a crimes contra a vida.
Em 2010, os internautas identificaram e denunciaram 6.990 destas páginas.
No ano passado, foram 21.205, das quais 11.004 estavam no Facebook, a rede social mais usada pelos brasileiros.
As ofensas diversas, sempre existiram, mesmo depois de anos de lutas, o que deveria ser banido da nossa sociedade, pois ainda incomoda muitas pessoas.
O bullying foi um termo criado para criminalizar quem praticava discriminações, mas agora, o problema é ainda maior, pois o meio virtual facilitou o anonimato das pessoas criando o cyberbullying.
O respeito ao próximo é crucial, e não é isso que acontece atualmente, todos temos direitos, mas desde que não se prejudique a ética do outro.
A internet é hoje a imagem da sociedade refletida no espelho.
Com a mobilidade da internet, estamos permanentemente conectados, e a tendência é que esse mundo on-line nos aproxime cada vez mais do off-line.


Reflexão
A questão primordial é : Porque não se pode mais expor uma opinião ou um lado de forma livre?
Ainda que com respeito, porque se é tão mau aceito ou criticado por se pensar diferente das massas?
Porque muita gente esconde o que pensa ou busca passar uma imagem feliz e correta sem a possuir e ataca seu próximo por não seguir a mesma ideologia?
Qual a necessidade de ofender, diminuir alguém, só porque não compartilha da mesma visão que a sua?
Estamos nos tornando semi humanos, irracionais, que não aceitam nada e só seguem o que a maioria segue como se fôssemos robôs?
Não se tem mais direito a voz. É proibido expor o que se pensa mesmo que com respeito?
Seria essa regressão e postura de intolerância o nosso possível futuro?

É justo que seja dito e respeitado somente aquilo que VOCÊ aprova?

Qual a base que você tem para acreditar que se deve censurar o outro porque você discorda do que ele diz?



Ninguém vai calar seu direito de falar, mas ao menos respeite quem discorda de você.
Respeite visões contrárias de quem também te respeita.
Intolerância gera intolerância.
Respeite para ser respeitado.




*Se você não pode compreender uma opinião, respeite.
Se você não consegue entender, pesquise.
Se não pode aceitar tente respeitar as diferenças.
Busque conhecer o outro lado, desapague de tabus.
Se não puder assimilar com tolerância ao menos não reaja com ignorância.
Abra sua mente.
Pense outra vez.*



Helena Dalillah









Respeito e Paz a todos nós.


O Mundo de Helena te deseja Evolução.




segunda-feira, 6 de junho de 2016

Sobre o Desprezo



Um conselho valioso para se aplicar no cotidiano.


As vezes pensamos que enfrentando, se importando ou revirando determinada situação vamos soluciona-la, quando o certo a se fazer é :


Desprezo

Definição
Ato ou efeito de desprezar.
Falta de estima, apreço ou consideração; desdém.

Sentimento de repulsa.


Desprezo ou menosprezo é um intenso sentimento de desrespeito e antipatia.
É semelhante ao ódio, mas implica um sentimento de superioridade.
A pessoa desprezada é considerada indigna.
Desprezo pode estar relacionado a sentimentos de indignação e amargura mas não se compara aos mesmos visto que é vazio.




Desprezo é um sentimento forte emocional, com base na convicção da inutilidade das pessoas afetadas ou suas instituições.
O desprezo surge a partir da avaliação de outra pessoa como inferior.
O principal impacto do desprezo é uma persistente desvalorização da pessoa, tomando-o como um ser ou coisa insignificante.

"Há males que só se curam com desprezo." George Herbert.





Se uma situação ou determinada pessoa te fere, ou, intenta, deseja te atingir de alguma forma, ou mesmo quando suas atitudes não conseguem esconder o quanto ela gostaria de te prejudicar esse é um caso claro de um ser/situação dignos de desprezo, pois o que não é positivo não merece atenção.






Para os seres dignos de desprezo, por causarem esse tipo de repulsa é um caso perdido querer enviar qualquer tipo de sinal, afinal dignidade e vergonha é o que falta em demasia, o que os fazem dignos desse sentimento frio e sem intensidade de nada vantajoso e de nada de todo.
Ao desprezível; nada mais certo do que o uso do desprezo.





"A falta de caráter é indiscutivelmente desprezível."
Samille Pessoa.






Desprezo é a reação mais cabível a qualquer pessoa equilibrada.
Quem te critica em sua presença merece respeito, mas quem ofende pelas costas é mais do que digno de desprezo.
O Desprezo é uma resposta digna.





Tente outra vez.
Nada atinge quem não quer ser atingido.





"O desprezo é uma arma muito poderosa para acabar com o orgulho de uma pessoa." Mislene Genescá.






Ao desprezível:
Um ser pobre de espírito que pode causar um momento de tensão ilusório por um milésimo de segundo, e pode achar que possui algo tendo a ilusão da imagem ao seu alcance, mas nunca será relevante, ou parte importante, muito menos querido ou lembrado, então para que o trabalho?
Inveja, decepção, calúnia, ofensa, assédio, cobiça, mentira; de graça, não leva a nada, só a ter o desprezo extremo.
Pode ver uma foto mas jamais possuirá o corpo e a alma, e acha que move o mar, mas não causa nem tempestade em copo de coca cola, porque se tornou previsível, portanto ignorável e nem digno de riso.
Uma partícula insignificante que fere porque não possui dignidade, mas não é capaz de ter um pouco de vergonha e apreço próprio a ponto de seguir para não ser mais merecedor do desprezo que causa.
Quem faz e deseja o mal, atrai o mal para si, e desprezo dos demais.
Pode ter a intriga mas nunca saberá o que é sentir-se respeitado como um ser humano por quem se "tenta" chamar atenção porque se torna invisível.
Atrai pra si mais e mais desventura.
E a troco de que mesmo?
Desprezo.
É limitação extrema se contentar com tão pouco e acreditar que se faz notado e causa cócegas, quando as coisas continuam as mesmas, ninguém está fugindo, o covarde é um ser desprezível.
Se fosse mesmo "grande coisa", não teria muito mais do que desprezo?
A linha que se cruza tem um limite, até estourar de volta em quem a jogou.
E pra que mesmo?






"Muitos conseguem suportar a adversidade, mas poucos toleram o desprezo." Thomas Fuller.
Para que um alguém se faça notado como ser humano é necessário que demonstre atitudes nobres e não a baixeza de sua atitudes desprezíveis.






Para constar:


Desprezo= Nada.


Desprezível:
Se é viável, siga.
Tudo que vai, volta.
O desprezo ecoa.


Reforçando:






(Em breve mais.)
Aguardem...


PS: Não mandamos indiretas, mas o Mundo de Helena não se responsabiliza por interpretações dos leitores, e tudo o que atingir é consciência pesada.



SEE YOU SOON. 








A Perda de um animal de estimação e o filme 4 vidas de um cachorro

A Perda de um animal de estimação e o filme 4 vidas de um cachorro No filme 4 vidas de um cachorro vemos a saga de um cach...